Matéria do Revoluir repercute e Kamiyama cita estudo em conjunto com Universidade Brasil e Sabesp: “Fernandópolis tem 78 mil habitantes”
13 de julho de 2020
De qual vida estamos falando?
25 de agosto de 2020

Presente de aniversário

Professora e pedagoga Jacqueline Paggioro

Enfim você se tornou sex; um, nem tão respeitado assim, sexagenário. E este texto é o meu presente.
Há dias ensaio iniciar um texto em sua homenagem. Confesso, combinar palavras para compor com afeto, emoção e sentimento não é tarefa das mais fáceis.  Recorro ao Fernando Pessoa, e aos trechos da Tabacaria (que você ama):

Não sou nada.

Nunca serei nada.

Não posso querer ser nada.

À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo…

…Escravos cardíacos das estrelas,

Conquistámos todo o mundo antes de nos levantar da cama;

Mas acordámos e ele é opaco,

Levantámo-nos e ele é alheio,

Saímos de casa e ele é a terra inteira,

Mais o sistema solar e a Via Láctea e o Indefinido

 

Ah! O Álvaro de Campos, mais que um heterônimo do poeta dos poetas, ele é você, inteiro.
Você, que me deu tesouros incalculáveis: nossos filhos. Me fez mulher, mãe, amiga; agregou nossas famílias, nossos amigos.
Me ensinou a alquimia da Poesia com o Cinema, com a Literatura, com a Filosofia, como a verdade da menina do poema que come chocolate:

Olha que não há mais metafísica no mundo senão chocolates.

Olha que as religiões todas não ensinam mais que a confeitaria.

 

Me ensinou também a gostar dos Rolling Stones, a amar Blues, a compreender Nietzsche. Compartilhou comigo sonhos e alguns pesadelos, me fez viver grandes aventuras e algumas desventuras. E com isso crescemos, amadurecemos e nos fizemos fortes, juntos.

Derrame-me a Natureza sobre a cabeça ardente

O seu sol, a sua chuva, o vento que me acha o cabelo,

E o resto que venha se vier, ou tiver que vir, ou não venha.

Amar e viver, como diz o Mia Couto, são verbos sem pretérito, uma vez tendo amado nunca mais se deixa de amar. De todas as incertezas do Tabacaria (que tomei do poeta e lhe atribui) e das certezas da vida (que me deu de presente você) é que posso afirmar: você é a melhor parte de mim e eu o amo, para sempre.
Feliz aniversário!

 

Jacqueline é professora e pedagoga há 30 anos. Feminista e de esquerda. Aprendiz de escritora. Contato: jacquepaggioro@hotmail.com

1 Comentário

  1. Marco Aurélio Paggioro Júnior disse:

    Meu cunhado, meu amigo e meu irmão você merece cada palavra escrita pela nossa amada Jacqueline

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *