SEGUNDONA 2019: Conheça a nova camisa do Fefecê e os adversários da 1ª fase
29 de janeiro de 2019
Morre uma Estrela
7 de fevereiro de 2019

Narrativa de uma Morte Anunciada

Zé Renato é professor de Filosofia da UniJales

A aberração ocorrida em Brumadinho não é uma tragédia. Escrevi repetidas vezes: tragédia é um acontecimento que se refere à vontade dos deuses, como na Grécia Antiga, é ‘obra do destino1. Aquilo que é de responsabilidade humana, é um drama. Logo, os crimes da Samarco e da Vale, não são obras do destino ou vontade dos deuses. São crimes, transformados em drama, para àqueles que perderam suas vidas, seu trabalho, seus parentes e amigos, filhos, maridos e esposas, casas, animais, enfim, perderam a dignidade. Quer dizer, tiveram-na usurpada

O noticiário informou a quantidade ridícula de fiscais para triarem as obras.

Porém, há que se acrescentar: a inexistência de uma política de verificação, fiscalização, permanentes das tais usinas, as quais, são uma bomba relógio, prontas para explodir a qualquer momento.

Mais uma vez se comprova o descaso, a omissão, a canalhice do poder público, em suas três esferas, quanto à vida. Fiscalizar, consertar, manter em ordem, sem risco ao outro, não dá visibilidade, não dá voto. Então, dane-se. Os impactos ambientais não serão sentidos por essa escória. É mais uma maldita herança para o futuro. Não é problema deles. É um drama que, novamente, poderia e deveria ser evitado

Há uma comoção planetária. Sensacionalismo nos noticiários.

Logo será esquecido, tal qual o crime de Mariana.

Detalhe: não se trata de responsabilizar os atuais “governantes”. Porém, TODOS. Esse problema remonta há décadas. Trata-se de um descaso cultural e estrutural no Brasil.

Aqui a vida é lixo. Não tem valor. Somente importa aquela da maldita elite econômica, aliás, os mesmos que se locupletam com a desgraça alheia.

Brumadinho, Mariana, e muitas outras desditas passarão… ficarão apenas no coração e na memória daqueles que foram mutilados, física e mentalmente.

O povo esquece fácil.

As preocupações se voltam para o “saquinho” de colostomia. Parece-me que é a parte mais inteligente desse ‘governo’

 

Zé Renato é professor de Filosofia da UniJales
joserenatostb@hotmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *