Elegibilidade: “Estou filiado e possuo a idade mínima. É só isso?”
12 de junho de 2020
2020, o ano que acabará
17 de junho de 2020

Lavagem Cerebral: como o novo Coronavírus, as Fake News sofrem mutações e ficam ainda mais infecciosas

A TV Bolsonaro está no menu oferecido a estudantes do Amazonas, Pará e Piauí que têm entre quatro e 17 anos de idade, ao lado de vídeos das aulas da rede de ensino público; para terem acesso ao conteúdo didático têm de baixar o aplicativo da IP.TV, no qual são bombardeados pelos conteúdos bolsonaristas (Ilustração: Fabi Flor para o Intercept Brasil)

Artigo REVOLUIR
Há fortes indícios de que uma empresa sob suspeita, a “IP.TV”, sem sequer sede própria no estado do Rio de Janeiro, esteja praticando um golpe denunciado pelo “The Intercept Brasil”.
A matéria, cujo título é “Escola com Partido”, mostra que quase 8 milhões de alunos das redes estaduais de São Paulo, Paraná, Amazonas, Pará e Piauí, entre 4 e 17 anos de idade, assistem aulas online utilizando um App desenvolvido exatamente pela empresa em xeque, criadora, pasmem, da TV Bolsonaro, desconhecida até mesmo no meio em que atua.
Mas, afinal, o que essa empresa tem de tão especial assim? Como pode uma empresa ligada a políticos bolsonaristas (bancada da bala, milicianos, cúmplices do Gabinete do Ódio, incluindo um acusado de participar de uma rede de prostituição de menores de idade) ser parceira de 5 governadores sem a mínima fiscalização?
A resposta tem como base a desculpa da pandemia da Covid-19: a referida empresa simplesmente oferece seus serviços gratuitamente, mesmo que cheios de falhas de vídeo e áudio. Mas os 5 governos estaduais acharam um bom negócio, já que recebem a “doação” da IP.TV e a qualidade não importa, seus filhos não assistem a essas aulas.
Porém, o preço cobrado pela IP.TV passa a ser questionado, e, em breve, deverá permear a seara judicial: são os dados sigilosos de alunos, familiares e professores.
Até mesmo a galeria de fotos de milhões de celulares de crianças são afetadas nessa troca singela chancelada pelos 5 governadores, que aceitam um serviço meia-boca em troca da intimidade de pequenos alunos, famílias e professores.
Trata-se de mais um crime cometido dentro do modus operandi do esquema miliciano carioca, que avança Brasil afora. Seus operadores não se importam mais em atuar de forma ilícita, pois se apresentam acima da lei.
É como se veem, “acima de tudo”! Como não há punição ao clã-bolsonaro, todos os que estão ligados a essa “Familícia” mostram a cara e batem no peito berrando que são o que são, e daí?
Aquela que nunca morre, a esperança é que as punições comecem a surgir o mais rápido possível. Não são prisões de parte ignóbil da massa de manobra desse desgoverno que fará alguma diferença! E é preciso agir rápido….

A TV Bolsonaro está no menu oferecido a estudantes do Amazonas, Pará e Piauí que têm entre quatro e 17 anos de idade, ao lado de vídeos das aulas da rede de ensino público; para terem acesso ao conteúdo didático têm de baixar o aplicativo da IP.TV, no qual são bombardeados pelos conteúdos bolsonaristas (Ilustração: Fabi Flor para o Intercept Brasil)

Foi interceptado o novo modelo de lavagem cerebral em larga escala, com potencial de superar a letalidade mental desencadeada através das redes sociais, como observada no Brasil desde 2018, com ápice durante o período eleitoral daquele ano: cuidado, as Fake News criminosas são como o novo Coronavírus, sofrem mutações e ficam ainda mais infecciosas!

A matéria do The Intercept Brasil é escrita por Amanda Audi e Pedro Zambarda. Conta com ilustrações de Fabi Flor, foto e colaboração de Pedro Prado. Confira, na íntegra, clicando no link abaixo…
Escola com Partido: Aulas online obrigam milhões de alunos a usar App de empresa desconhecida que criou TV Bolsonaro

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *