DESESPERO DE PERDEDOR? Fake das rádios é cortina de fumaça que não esconde casos Roberto Jefferson e Paraisópolis
27 de outubro de 2022
R#2 – Espanha e França favoritas, Brasil sólido, Portugal bem, Uruguai, Bélgica e Dinamarca precisam vencer
30 de novembro de 2022

R#1 – Espanha, França, Brasil, Inglaterra e Holanda começaram bem

Confira a Copa do Mundo do Qatar através das análises do jornalista esportivo Claudio Rodante Neto, publicadas em artigos especiais pelo Revoluir

 

Alemanha e Argentina iniciam a Copa perdendo.
Foi encerrada a primeira rodada da vigésima segunda Copa do Mundo de futebol masculino. A Copa do Mundo está mostrando um contágio pelo ambiente e também pelo fator clima, um bom desempenho das seleções dos países islâmicos, igual ao país-sede, o Catar. Os desempenhos de Tunísia, Arábia Saudita, Marrocos e Senegal foram além do esperado. O Irã é a segunda força do grupo B, mas enfrentou a primeira força logo na estreia e foi goleado, mas pode se recuperar também, infelizmente para os anfitriões apesar da ótima preparação para Copa, o Catar não tem uma seleção competitiva.
Sobre o nível da Copa até aqui, está razoável, não está ruim, mas não engrenou a ponto de se estar boa, teve quatro resultados de 0x0, mas também teve goleadas históricas como a da Inglaterra por 6×2 no Irã e da Espanha por 7×0 na Costa Rica. Uma curiosidade é que na primeira rodada não teve nenhuma expulsão e nenhum gol de fora da área, esperamos que a primeira continue e a segunda, não passe pela segunda rodada, até porque os gols de fora da área são marcantes nas histórias das Copas. O que mostra também como o futebol evolui e como as equipes protegem bem a parte de cima do “funil” onde ocorre mais de 80% dos gols do futebol. É uma área que parte das linhas laterais da pequena área e continuam no formato de um funil, a parte de cima é a área da maioria dos gols de fora área. Apesar da evolução na proteção do gol, esperava mais das equipes contra-atacando ou e na transição ofensiva, na segunda rodada até pela busca maior do resultado positivo ser mais necessária, isso pode aumentar as chances claras de gol e os gols em si.
A Espanha começou goleando, mas ironicamente o seu maior defeito é a eficácia da finalização tão importante hoje no futebol, ela controla o jogo de uma forma única no futebol hoje em dia, mas não define, tem saudade de Villa e de Fernando Torres. A França e o seu vestiário sempre complicado na união do grupo, as lesões das estrelas mais difíceis nesse ponto pode ajudar a melhorar o ambiente, Benzema e Pogba, a lesão do Kanté já não se pode escrever o mesmo, poderá fazer muita falta quando o nível do enfrentamento subir, a partir das quartas. O Brasil fez uma ótima estreia, é uma seleção sólida que será competitiva, tem o antigo problema de ainda não ter enfrentado um “grande” europeu, que pode se tornar igual tem sido recorrente nas Copas, a primeira e única partida da seleção neste nível, e temos uma seleção para fazer os gols na transição ofensiva e ou contra-ataques contra a Espanha em uma possível quartas, o Brasil que espera o retorno dos titulares Neymar e Danilo para as oitavas, nas quartas em um possível confronto  a Espanha é a favorita. Mas está muito cedo mesmo para qualquer diagnóstico. A Holanda não encanta igual em outros tempos, mas não tomou gol na primeira rodada contra a competitiva seleção de Senegal e é pragmática e eficaz, além de ter um chaveamento mais “tranquilo” em teoria até as semifinais. A Inglaterra com os seus jovens talentos goleou na primeira rodada, com um bando com jogadores consagrados na sua própria liga, ela só tem que ajustar qual será a equipe para começar e quais serão as substituições a serem feitas, porque tem um ótimo elenco para chegar até as quartas em um eventual embate contra a favorita França. Percebe-se que nas eventuais projeções um lado dos semifinalistas ficou vago, o que pode ser a seleção surpresa da Copa que seja quem for tem que evoluir nos próximos jogos, o desempenho decepcionante de Portugal, Uruguai, Croácia, Bélgica, Dinamarca, México e outras seleções mostra que está Copa pode evoluir muito ainda no nível técnico disputado.
Para finalizar o resumo da primeira rodada, as decepções, tanto a Alemanha quanto a Argentina não souberam “matar” o jogo e podem reagir e até evoluir a ponto de disputar a taça, mas em um torneio com grupos somente de 3 jogos, uma derrota na primeira rodada pode ser crucial para o futuro das duas seleções na Copa. A Argentina se perder do México na segunda rodada está fora da Copa, Alemanha se perder pode contar ainda com uma improvável vitória da Costa Rica contra o Japão para não ser eliminada, como o seu jogo será depois, a Alemanha já entrará em campo sabendo que se perder já irá voltar para casa. A Alemanha precisa da vitória, mas terá a Espanha a melhor da primeira rodada já querendo eliminar este adversário direto pelo título na fase de grupos. Se tratando da Alemanha tudo é possível nas Copas, mas na última e nesta tem feito mais vexames do que o seu histórico representa. A Argentina tem mais possibilidades que a Alemanha de não ser eliminada na primeira fase. Com duas vitórias ela se classifica e tem uma chance considerável de ser eliminada nas Oitavas novamente. Se passar, das duas, a Alemanha é quem tem tudo para dar mais trabalho para as seleções que começaram melhor a Copa do Mundo de 2.022. Vamos ver como será a segunda rodada que se inicia amanhã, esperamos com mais gols e jogos bons para se assistir. Eu volto depois de finalizada a segunda rodada para escrever sobre o evento tão gratificante de acompanhar que é a Copa do Mundo. Uma ótima segunda rodada para todos nós. 

Claudio Rodante Neto é formado em Comunicação Social/Jornalismo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *